Triunfo espanhol no Iron Man 70.3


Desde o primeiro mergulho, a atenção sobre o triatleta espanhol Francisco Javier Gómez Noya estava latente.

A experiência do campeão mundial e sub- campeão olímpico há dois anos em Londres se fez presente ontem, ao ganhar a terceira versão da competição Ironman 70.3 realizada no Panamá.

Consistente

Gómez Noya fez tudo de maneira correta, em uma manhã ensolarada na capital do país.

A transição entre a etapa de ciclismo (90 quilômetros) até a de meia maratona (21 quilômetros) revelou aos participantes e seguidores do evento, que o ibérico era muito superior aos seus rivais, mostrando uma classe olímpica mundial não vista nas duas versões anteriores.

“Fez uma boa corrida, o clima estava perfeito e a rota meticulosa, mas agradável para fazer um bom trabalho”, comentou depois de cruzar a meta com o registro de três horas 38 minutos e 28 segundos.

Superou por quase quatro minutos o americano, com o tempo de 3 horas, 42 minutos e 12 segundos, enquanto que o francês ficou em terceiro lugar, com o registro de 3 horas, 43 minutos e 24 segundos.

O vencedor gostou tanto da atividade, que decidiu que voltará ao Panamá, no próximo ano, para buscar a melhor parte de uma bolsa de 75 mil dólares, que entregou o ironman 70.3.

Billy Gordón foi o panamenho melhor colocado no grupo masculino desta competição.

Canadense triunfa

No grupo feminino, a canadense Ángela Naeth levou as homenagens com o tempo de 4 horas 4 minutos e 58 segundos, superando a britânica Catriona Morrison,que conseguiu um tempo de 4 horas, 6 minutos e 18 segundos, deixando o terceiro posto para a alemã Svenja Bazlen (4. 08. 12).

Através de uma intérprete, a vencedora expressou sua satisfação pelo trabalho cumprido e adiantou que da mesma forma que Gómez Noya, estará no Panamá no próximo ano para a quarta versão da competição.

Prestígio

A competição Ironman 70.3 tem ficado marcada no calendário anual, como uma das primeiras a serem realizadas a nível internacional.

A presença do campeão mundial espanhol Francisco Javier Gómez Noya, deu o impulso necessário a prova, que agora está na rota dos grandes triatletas, que se prepararam para participar nos jogos olímpicos do ano de 2016 no Brasil, e que usarão o Ironman 70.3 como rota de entretenimento.

Fonte: www.laestrella.com.pa