O Casco Antiguo, mais vivo do que nunca

Esta é a moda. Os jovens e adultos, que saem para se divertir todos os dias nos fins de semana estão esquecendo esse ponto de encontro na Rua Uruguai, ou o lugar denominado Zona da Rumba. Agora a rota é o Casco Antiguo.

Há dois anos se viu abandonada. As visitas dos turistas, que se encontravam no país não eram abundantes. A vida em Casco ia se perdendo, mas desde o ano 2010, o Governo Nacional, junto com o Instituto Nacional de Cultura investiu milhões de dólares neste lugar, que se encontra incluído na lista dos Patrimônios da Humanidade da UNESCO, desde 1997, ele tem vida dia e noite.

A frescura, elegância, classe e serenidade, que se sente ao passar por cada uma de suas ruas (com novas pedras de pavimentação) tem levado este lugar a ser um dos cenários de eventos prestigiosos como Macrofest 2014, que se realizou até o sábado passado, Festival Internacional de Cinema de Panamá 2014 (de 3 a 9 de abril), assim como também a testemunha fiel de shows de artistas nacionais e internacionais de renome.

Para Marie Claire De Bueno, parte da equipe de organização do Macrofest, realizar este evento significa muito, já que ganha a arte, a criatividade, o desenho e ganha o lugar, com mais crescimento de turistas, que se sentirão em pleno ambiente cultural. Tivemos um circuito de atividades diárias, que convidavam o público para fazer um trajeto pelas ruas históricas e praças de Casco e descobrir intervenções e obras de arte agradáveis aos sentidos, explicou.

Ao redor de 35 restaurantes, 20 cafés, discotecas, diversas galerias de arte, 11 hotéis (simples ou luxuosos) e outras atrações, tem resultado a Casco, cerca de 98% de visitas estrangeiras.

Hotel ocupado e a febre das sextas-feiras

Em um passeio pelo lugar, se observou que o American Trade, que fez parte das atividades do Macrofest 2014, é um dos hotéis com mais participação de diversas nacionalidades.Não muito longe, uma réplica exata se dará, quando se inicie o IFF Panamá.Segundo os organizadores deste festival, este hotel será a sede, que acolherá a um grande número de cineastas da América Central, que não poderão resistir em dar um passeio pelos arredores.

Outros dos pontos mais visitados desta zona é Fiebre, na Villa Agustina. Nesta discoteca se vive um ambiente diferente dos demais, que existem tanto na Zona da Rumba, como na Rua Uruguai .O evento é às 21.00 horas.

Lounge Beach

Anolan Eligia, amante das sextas de Fiebre, não perde a oportunidade de dançar desde “dança do 'Pingding', reggae até música eletrônica.

Esta rumba, que se desenvolve em uma espécie de casa com apartamentos, é de caráter internacional. Ninguém olha quem está ao lado, como acontece usualmente nas outras áreas, comentou Gómez.

O calor é insuportável, mas à medida que você vive o momento , tudo passa, além disso, até a roupa usada para participar desta discoteca é praiana. Você pode vestir o que quiser.

Fonte: Panamá América