Descoberta arqueológica do Panamá está emergindo como a mais importante da América

Um lugar remoto localizado no povoado de El Caño, a oeste da cidade de Panamá, alberga o que pode ser o mais importante tesouro arqueológico da América, com igual ou maior riqueza, do que a descoberta da tumba pródiga do Senhor de Sipán, no Norte do Peru em 1987.

Trata-se de um complexo funerário ou necrópole com um conjunto de enterros pré-colombianos de caciques e guerreiros de alta categoria, sepultados com numerosos artigos e utensílios de ouro, cobre e esmeraldas, recuperados por escavações realizadas desde 2008.

Com aproximadamente de 700 a 1.000 anos de antiguidade, o cemitério está no Parque Arqueológico El Caño, na província central de Coclé, 150 quilômetros a oeste da capital.

Efe presenciou o trabalho dos arqueólogos, que aproveitam a temporada seca para continuar a escavação, pois com a chuva, tudo se torna mais lento e os túmulos se inundam pelas cheias do Rio Grande.

Apesar disso, as expectativas sobre a descoberta, que foi lançada pela revista National Geographic em espanhol, há cerca de dois anos são grandes na equipe de pesquisadores coordenada pela arqueóloga panamenha Julia Mayo, e tem motivado o cineasta espanhol José Manuel Novoa a iniciar a filmagem de um documentário.

A ideia é de que esta descoberta arqueológica de El Caño se converta em uma das mais importantes da América Latina, cheia de otimismo a Mayo e a Novoa, embora ambos esclareçam, que falta muito por escavar.

Mayo disse a Efe, que nas escavações que reiniciaram em fevereiro e terminaram em abril, está se abrindo um novo túmulo com a” mesma categoria, importância e dimensões”, que a do “Duplo Pássaro”, que era de um chefe guerreiro de alto escalão.

As escavações foram iniciadas por Mayo e um grupo de especialistas em 2006, em uma área de cerca de 5.000 metros quadrados, mas foi só em 2008 e 2009, que se deram as primeiras descobertas.

Esta cultura não havia se contextualizado e veio à luz com as escavações, que têm certificado centenas de túmulos de uma espécie de necrópole, onde eram enterrados personagens de alto grau.

O cemitério encontrado foi utilizado durante aproximadamente 300 anos.

Novoa não duvida em afirmar, que tanto pelo valor econômico, ou histórico das peças, tesouros, alfaias e ossos dos túmulos, o descobrimento chegue a ser similar ou superar o do Senhor de Sipán.

O cineasta disse, que a divulgação desta descoberta mediante um documental dará a conhecer Panamá por algo, que é “único em toda América Latina”.

“Nós que levamos anos fazendo produções arqueológicas (cinematográficas) estamos aqui por algo, quer dizer, que isto se possa comparar perfeitamente ao Senhor de Sipán de Peru (_), que são consideradas de momento , os túmulos mais ricos da América, até que aqui (em El Caño) vejamos o que vai sair”, indicou Novoa.

Novoa esclareceu que mais do que o ouro e as esmeraldas, o valor destes descobrimentos radica na “riqueza de informação e a riqueza do estudo”.

Nesse sentido, explicou que para o seu documentário sobre El Caño, que espera terminar em setembro de 2015, lhe interessa “tudo” e já tem filmado as” mais importantes peças”, que se têm extraído nos últimos anos.

No documentário estão envolvidas sua produtora Wanda Films, e a panamenha Jaguar Films, a arqueóloga Julia Mayo, sua Fundação El Caño, e National Geografic, que tem financiado as escavações.

A filmagem, com tecnologia cinematográfica, de alta definição, além de documentar o trabalho dos arqueólogos, incluirá uma parte dramatizada com três ou quatro atores principais e entre 350 a 400 extras, para dar vida à denominada por hora, civilização ou “Cultura Coclé”, que ocupou a área da descoberta.

Você também terá projeções em 3D por computador para explicar de forma simples ao espectador o relacionado com os túmulos, bem como cenários virtuais. Novoa, com 35 anos de experiência, tem filmado sete documentários sobre o Peru, como o mais recente sobre “A Senhora de Cao”, governante Mochica de 1.700 anos atrás e a Rota Moche, que corre ao longo do norte de Peru em que esta civilização se estabeleceu.

Fonte: Telemetro Reporta